Regue à tardezinha se o período da manhã for inconveniente. Nem sempre é conveniente regar o jardim logo pela manhã quando se tem milhões de outras coisas para fazer. Caso não seja possível fazê-lo pela manhã, espere até o fim da tarde, quando o sol não está mais tão quente. Assim, as plantas não se queimarão e ainda existirá tempo para que elas sequem um pouco antes do cair da noite.[2]
A Geografia Cultural é tida como um ramo das ciências geográficas preocupado com a distribuição espacial das manifestações culturais, como: religiões, crenças, rituais, artes, formas de trabalho; enfim, tudo que é resultado de uma criação ou transformação do homem sobre a natureza ou das suas relações com o espaço, seja no planeta, em um continente, país, etc. A exemplos dos estudos sobre: "espaço e religião; espaço e cultura popular; espaço e simbolismo; paisagem e cultura; percepção ambiental e cultural; espaço e simbolismo..."(CORRÊA, 1995, p. 03-11).
A cultura pode ser vista, também, como o conjunto de manifestações humanas que contrastam com a natureza ou comportamento natural, a soma total dos modos de vida construídos por um grupo de seres humanos e transmitidos de uma geração para outra, ser considerada uma propriedade ou atributo inerente aos seres humanos, ou ainda ser meramente um artifício intelectual para generalizar convenientemente a respeito de atitudes e comportamentos humanos (WAGNER e MIKESELL, 2003).
Nas cidades, devido a efetiva impermeabilização dos solos pela ocupação imobiliária, pelas vias de transporte e pelo material utilizado nas canalizações, há pouca ou nenhuma realimentação do lençol freático e dos cursos d’água pela chuva, transformando-os exclusivamente em redes de esgotos. No atual processo de urbanização, a característica natural da rede de drenagem é totalmente modificada, assim como a vegetação natural é degradada ou suprimida, o relevo alterado e, até mesmo, a relação do homem com o seu meio sofre influência desse processo.
Onde é que se encontra o sublime? Perto. Ao regar as plantas no jardim. Ao escolher os objetos da casa conforme a lembrança de um momento especial que cada um deles traz consigo. Lendo um livro. Dando uma caminhada junto ao mar, numa praça, num campo aberto, onde houver natureza. Selecionando uma foto para colocar no porta-retrato. Escolhendo um vestido para sair e almoçar com uma amiga. Acendendo uma vela ou um incenso. Saboreando um beijo. Encantando-se com o que é belo. Reverenciando o sol da manhã depois de uma noite de chuva. Aceitando que a valorização do banal é a única atitude que nos salva da frustração. Quando já não sentimos prazer com certas trivialidades, quando passamos a ter gente demais fazendo as tarefas cotidianas por nós, quando trocamos o "ser feliz" pelo "parecer feliz", nossas necessidades tornam-se absurdas e nada que viermos a conquistar vai ser suficiente, pois teremos perdido a noção do que a palavra suficiente significa."

Corrêa (2002, p. 175) diz que, mesmo não se encerrando as possibilidades temáticas, as relações entre cultura e urbano podem se manifestar de diferentes modos. Mas ele relaciona aqui três dessas manifestações. Primeiro, a toponímia e identidade que, segundo Corrêa, "constitui-se em relevante marca cultural e expressa uma efetiva apropriação do espaço por um dado grupo cultural" (p. 176). Segundo, a cidade e a produção de formas simbólicas, "sendo que, em parte, por meio das formas simbólicas é que a cidade expressa uma dada cultura e realiza o seu papel de transformação cultural" (p. 177). E, em terceiro, a paisagem urbana e seus significados, sendo esta que "constitui-se em importante temática, tendo atraído a atenção dos geógrafos[...]" (p. 179).


Plantar grama em jardim em casa é uma atividade relativamente simples e que pode produzir bons resultados depois que a grama pegar e ficar toda verdinha. Uma das práticas mais comuns é o plantio da grama em tapetes que são compradas nesses distribuidores de grama, pois ela já vem pronta bastando você colocar os tapetes lado a lado na área devidamente preparados para este fim.
A quantidade de água necessária para o gramado depende não só da sua variedade, mas também da condição do solo de crescimento, bem como das condições climáticas. Lembre-se, irrigação freqüente em pequenas doses prejudica mais o gramado, o mais raro, mas abundante. A camada superior do solo deve secar antes do início da nova irrigação. Normalmente, o gramado precisa de irrigação de 3 a 4 vezes durante a semana quente de verão.
Sprinkler - imitação de chuva para irrigação de grama. Pequenas secções das plantações são regadas manualmente a partir do pulverizador com um regador ou uma mangueira. Se a área for muito grande, é aconselhável instalar sprinklers automáticos. Durante a aspersão, não apenas o solo é umedecido, mas também o espaço aéreo ao redor do gramado. Tipos principais:

Quando durante a rega, você se preocupa mais com a parte da superfície e não faz com que a água penetre bem no solo, o primeiro grande problema que se cria é o favorecimento do crescimento de ervas daninhas. Outro problema é que a raiz da grama vai crescer menos e mais fraca. Dessa forma, o gramado ficará mais exposto a determinadas doenças e à seca.
O solo de relva ervas não deve ser muito fácil e ter uma espessura de 20 a 50 centímetros. Muito pesado o solo precisa fazer a turfa e areia. Antes da sementeira de ervas, ela precisa fluffing. Se o solo com fertilizantes, o gramado será o mais luxuoso. Alimentados gazonnyu verdes minerais fertilizantes, composto de potássio, o fósforo e o nitrogênio.
A paisagem em uma representação cartográfica necessita de um complexo e relativamente detalhado inventário geográfico. A observação tem de partir do nível dos geofácies até mesmo caso eles não figurem na carta. A parte principal do trabalho ocorre no terreno: levantamentos geomorfológicos, pedológicos e fitogeográficos, exame das águas superficiais, observações meteorológicas elementares, inquéritos sobre o sistema de valorização econômica (gestão florestal, percursos pastoris, direitos de uso, etc...). Em geral, esses levantamentos temáticos e informações são completados pelos trabalhos de diversos arquivos (cadastro, serviços administrativos, etc...). Desse modo, para organizar toda essa documentação volumosa e disparatada, é necessário escolher uma linha mestra. Ela é fornecida pelo tapete vegetal cujo levantamento sistemático a 1/50.000, por um método simplificado, intermediário entre o do Serviço da Carta da Vegetação a 1/200.000 da França e o da Carta da Vegetação a 1/100.000 dos Alpes de P. Ozenda, serve de base à cartografia global das paisagens.
Pela manhã e no final da tarde são os horários mais indicados para fazer a rega. Algumas pessoas acreditam que, quando as plantas são regadas próximo ao meio dia, as folhas cozinham, isso não é verdade, o que acontece é que parte da água nesse horário evapora, pois é mais quente. Já durante a noite, a rega também deve ser evitada, pois nesse horário a planta absorve pouca água, e as folhas demoram mais a secar, o  que pode acarretar no aparecimento de fungos.

O inicial conceito de paisagem foi produzido e direcionado para a sistematização da ciência geográfica por Humbold, no século XIX, onde, segundo o seu pensamento os elementos naturais estariam todos interligados e por intermédio da paisagem era possível a verificabilidade do conjunto, ademais, ele ressaltava o caráter estético desta. Apesar disso, tal conceito caiu em desuso das discussões geográficas posteriores.[6]
Não regue o jardim à noite. Quando as plantas são regadas durante a noite, a água se deposita nas folhas e caules, em vez de evaporar. Como consequência, o solo pode se tornar encharcado em vez de ocorrer a drenagem adequada que teria com a ajuda do sol. Isso é prejudicial às plantas, pois causa mofo e crescimento de fungos ao redor das raízes, caules e folhas.
Partindo-se do pressuposto que a paisagem urbana é o produto e a materialização do trabalho social, ela está profundamente impregnada de relações sociais e conflitos (CORRÊA, 2003, p. 181), e é constantemente ressignificada, para que possa viabilizar a circulação do capital. Na paisagem urbana, evidenciado, dessa forma, um valor simbólico, "repositório de símbolos de classes sociais e de herança étnica". Essa dialética está presente nas diferenças das paisagens urbanas, tanto internamente, nas zonas residenciais populares e de classes mais abastadas, "que se justapõem, superpõem, contrapõem no uso da cidade" (SANTOS, 2002, p. 326), quanto externamente, nas diferenças entre as cidades. Assim, os diferentes grupos sociais, que ocupam áreas distintas das cidades e/ou cidades diferentes, vão produzir, de acordo com o seu modo de vida e de ocupação do solo, diferentes formas e diferentes paisagens no espaço urbano. Essas diferentes paisagens serão percebidas de inúmeras maneiras e com distintos significados, pois cada indivíduo "enxerga" a paisagem através dos seus "filtros", dentre os quais o filtro da cultura.
É importante saber também que água demais prejudica a planta. Verifique se a terra do vaso ou do jardim próximo a planta está úmida um pouco abaixo da superfície antes de regá-la. Algumas plantas necessitam de mais água que outras, portanto, cheque seu jardim pelo menos a cada dois dias. Se a terra ainda estiver molhada, deixe para regar em outro horário.

Além do mais, a paisagem carrega consigo aspectos naturais e também aspectos culturais ou humanizados. Quando uma determinada área é formada apenas pelos elementos da natureza, falamos de uma paisagem natural, mas quando ela apresenta alguma intervenção humana, então falamos de paisagem cultural, também chamada de “paisagem humanizada” ou de “paisagem geográfica”.

×